Veja como criar uma cultura do estudo com seus filhos

Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter

Entenda o que é uma cultura do estudo, porque ela é importante e quais são os principais passos para criar essa cultura com seus filhos.

O processo de aprendizado de crianças e adolescentes pode começar em sala de aula, mas ele continua em casa. Por isso, é importante que a família construa uma cultura de estudo.

A cultura do estudo acompanha o estudante onde ele estiver. Ela possibilita que o aprendizado continue, mesmo quando não há um professor presente para atuar como “transmissor” do conhecimento.

Neste artigo, você vai entender melhor o que é a cultura do estudo e porque ela é importante. Para completar, vai conhecer também os principais passos para criar essa cultura junto aos seus filhos.

O que é cultura do estudo

O conceito de cultura do estudo não se resume a estabelecer um horário para os filhos fazerem a lição de casa. Na realidade, vai muito mais a fundo, pois tem a ver com a forma de pensar sobre o aprendizado.

Uma cultura do estudo começa com uma perspectiva positiva sobre o valor do estudo.

Quando ela é construída adequadamente, crianças e jovens não encaram aulas, tarefas e provas como uma obrigação. Em vez disso, eles percebem que essas são portas de acesso para oportunidades de crescimento.

Por exemplo, para um jovem com uma forte cultura do estudo, uma nota baixa no boletim não é um sinal de fracasso. Essa nota indica para onde ele deve direcionar sua atenção na hora de estudar. 

Da mesma forma, uma nota alta não é apenas uma letra no papel. Ela é uma afirmação de que os seus esforços estão no caminho certo. Assim, indica que ele está progredindo em direção a objetivos importantes, como conquistar uma vaga em uma boa universidade.

Essa perspectiva positiva sobre o estudo, por sua vez, se reflete em atitudes.

A cultura do estudo leva seus filhos a buscar ativamente novas formas de aprender. Afinal, vivemos em um tempo no qual a informação está facilmente acessível graças à tecnologia e, em particular, à internet.

Atualmente, se um jovem quer aprender sobre astrofísica, ele pode facilmente abrir o YouTube e assistir à aula de um professor de Harvard sobre o assunto, por exemplo.

Assim, os estudantes desenvolvem autonomia. Em outras palavras, seu processo de aprendizado torna-se cada vez menos dependente da figura do professor ou do espaço da sala de aula.

Isso não significa que a escola esteja perdendo seu papel no ensino. Porém, significa que, no processo de aprendizado, o protagonista passa a ser o estudante. Enquanto isso, a escola, assim como a família, também exercem importantes papéis.

Porque a cultura do estudo é importante

Existem dois motivos principais para criar a cultura do estudo com seus filhos.

Em primeiro lugar, ela possibilita que o estudante tenha consciência das oportunidades de crescimento que acompanham o estudo. Essa conscientização, construída desde cedo, tem um impacto direto sobre o aproveitamento efetivo dessas oportunidades.

Por exemplo, existe uma grande variedade de bolsas de estudos disponíveis no Brasil e no exterior para estudantes de alto desempenho. Quanto antes os estudantes conhecem essas bolsas, maior sua probabilidade de conquistar uma por meio de uma preparação mais adequada.

Em segundo lugar, a cultura do estudo também colabora para que o estudante expanda seus horizontes de conhecimento. Pois, conforme seu processo de aprendizado se torna mais autônomo, ele passa a aprender em várias ocasiões e por vários meios. Além disso, adquire interesse por mais assuntos. 

Por exemplo, algumas crianças podem demonstrar desde cedo interesse por Química, uma matéria que não vai ser estudada a fundo na escola até os últimos anos do ensino fundamental. Dentro do conceito de cultura do estudo, esse interesse é incentivado. Assim, as crianças podem se aprofundar em Química desde cedo, seguindo seu próprio ritmo e sem depender do professor para aprender a matéria. 

Como desenvolver a cultura do estudo

O desenvolvimento da cultura do estudo com seus filhos atravessa cinco passos básicos.

O primeiro passo é ressignificar a figura do professor.

É preciso que o estudante entenda que o professor é um companheiro no processo de aprendizado, mas não o responsável por ele. Ele oferece orientações e direcionamentos, mas não pode oferecer todas as respostas. 

Seguindo a mesma lógica, o segundo passo é ressignificar o espaço da sala de aula.

O estudante deve saber que o aprendizado não é um processo restrito a esse espaço. Assim, ele estará mais atento para reconhecer ocasiões em que pode expandir seu conhecimento tanto na escola, em outros ambientes, quanto fora dela.

O terceiro passo é apoiar o estudante na descoberta dos métodos que funcionam melhor em seu processo de aprendizado.

Para que ele tenha autonomia, é preciso assumir o controle sobre o processo. Isso envolve ter a liberdade de adotar métodos que ofereçam melhores resultados, considerando suas individualidades.

Esse é um exercício importante de reconhecimento do estudante como protagonista do aprendizado. Em vez de exigir que ele utilize certos métodos de estudo, é preciso ajudá-lo a experimentar vários métodos e reconhecer os mais adequados para o seu caso pessoal.

O quarto passo é incentivar a exploração de temas que vão além do que é proposto no currículo básico.

O incentivo começa pelo contato do estudante com mais assuntos, algo em que a família pode oferecer grande apoio.

Você se lembra do exemplo da criança que se interessa por Química desde cedo? Esse interesse pode surgir pela exposição a conteúdos e atividades relacionados àquela matéria. 

O quinto passo é encontrar maneiras de integrar o aprendizado na rotina do estudante em casa.

Por um lado, ter um horário de fazer a lição não é o suficiente para criar uma cultura de estudo. Por outro lado, não ter rotina pode ser um grande obstáculo para o desenvolvimento dela.

Essencialmente, não é possível dizer que existe uma cultura do estudo, se o estudo não faz parte do cotidiano de uma maneira consistente.

Além disso, especialmente enquanto essa cultura não está consolidada, crianças e jovens podem facilmente ocupar todo o seu tempo com outras atividades. Então, o estudo acaba relegado apenas à escola novamente.

Neste artigo, você se familiarizou com o conceito e a importância da cultura do estudo, e descobriu os principais passos para desenvolver essa cultura em sua casa, com seus filhos.

A cultura de estudo é fundamental para o processo de aprendizado. Ela é a base sobre a qual esse processo é construído. No entanto, sobre essa base, outros elementos devem colaborar para que o processo como um todo seja bem sucedido.

Um desses elementos é a inovação. Confira nosso artigo sobre educação inovadora e entenda como ela pode ser aplicada na prática.